Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico
Usuário
Senha

Notícias

Newsletter

Nome:
Email:

CNJ visita TJSE para monitoramento dos serviços prestados pelo Escritório Social

O Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) recebeu nesta quarta-feira, dia 11, representantes do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas (DMF), do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O objetivo da visita é acompanhar o desenvolvimento dos serviços desenvolvidos pelo Escritório Social, mediante visitas in loco envolvendo a execução de grupos focais e observação participante. A equipe do CNJ foi recepcionada pelos membros do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas (GMF), a Juíza Corregedora Brígida Declerc Fink, o Juiz da Vara de Execuções Penais, Hélio Mesquita e o Diretor de Inovação Judiciária, Thiago Porto. O Escritório Social é um dos serviços inseridos no eixo de Cidadania (Eixo 3), do Programa Fazendo Justiça, uma parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e apoio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), o qual vem trabalhando em uma série de iniciativas para desenvolver políticas judiciárias para pessoas egressas do sistema prisional no Brasil. Em Sergipe, o Escritório Social foi inaugurado em novembro de 2020, por meio de termo de cooperação entre o CNJ, TJSE e Governo do Estado. Desde o final de 2021, o DMF tem realizado visitas de monitoramento, coletando os dados e observando o funcionando o Escritório Social. De acordo com a Supervisora do DMF, Melina Miranda, trata-se de uma visita voltada para uma aprendizagem colaborativa que resulte no aprimoramento do serviço. "O objetivo da visita é conhecer a realidade local, a partir do funcionamento do Escritório Social, que é um equipamento público de gestão compartilhada entre o Poder Judiciário e o Poder Executivo, voltado para o atendimento da pessoa egressa e de seus familiares. O Escritório é projetado para acolher e encaminhar esse público para as políticas públicas existentes, auxiliar os estabelecimentos prisionais no processo de preparação para a liberdade e mobilizar e articular as redes para a garantia de direitos àquelas pessoas. Então, nós tivemos um momento de implantação do Escritório Social com o apoio do GMF e voltamos a Sergipe, hoje, para fazer o monitoramento, verificar como as práticas estão funcionando e as necessidades de ajustes", explicou. Com a visita, o DMF produzirá um relatório técnico contendo os principais pontos levantados, a fim de gerar aprendizado organizacional e permitir o aprimoramento do serviço. Instalado no Fórum Olímpio Mendonça, onde está situada a Vara de Execuções Penais de Sergipe (VEP), o Escritório Social conta com uma equipe de 02 (duas) assistentes sociais e 01 (um) psicólogo e tem previsão de expansão por meio de recursos de convênio celebrado pela Secretaria da Justiça, do Trabalho e de Defesa do Consumidor (Sejuc) com o Depen no início do ano de 2021. Focado no atendimento espontâneo e voluntário das pessoas egressas do sistema prisional do estado, o Escritório Social tem buscado orientar seus usuários para acesso a direitos e inclusão social, além de promover a mobilização e sensibilização da rede intersetorial local para atenção a este público. Desde sua implantação, mesmo afetado pelo período da pandemia e de suspensão de atividades presenciais, o Escritório Social, em Sergipe, realizou mais de 750 atendimentos, entre acolhimentos iniciais e atendimentos de retorno. "O Escritório Social traz um atendimento de importância fundamental para aquele que está nessa fase de transição do cárcere para a retomada da sua vida, porque, na maioria dos casos, precisa de um apoio, seja financeiro, seja para amparo a sua família, seja de orientação no acesso às políticas públicas", avaliou o Juiz Hélio Mesquita, destacando que a visita do CNJ pode fortalecer o Escritório Social, além de promover a transição de serviços que foram incorporados pelo Poder Judiciário, mas são de responsabilidade do Executivo. A equipe do DMF, acompanhada das consultoras do Programa Fazendo Justiça, Isabela Cunha e Lucineia Rocha, também esteve no Fórum Olímpio Mendonça em reunião com a coordenação e a equipe técnica do Escritório Social para apresentação dos objetivos e da metodologia de monitoramento, com exposição das atividades. A visita se estenderá até amanhã, dia 12/05, quando será realizada reunião de devolutiva com a Sejuc, Ministério Público Estadual e Ministério Público do Trabalho. "A ideia é que tenhamos uma pisão de atribuições e responsabilidades, com o envolvimento forte do Executivo para que essa política possa atender o público beneficiário. Então teremos uma série de agendas, porque existe um convênio do Depen com a Sejuc e o nosso intuito é que esse convênio possa ser executado para o fortalecimento do Escritório Social", acrescentou a Supervisora do DMF.   Planejamento Estratégico 2021/2026MacrodesafioAPERFEIÇOAMENTO DA GESTÃO DA JUSTIÇA CRIMINALMacrodesafioFORTALECIMENTO DA RELAÇÃO INTERINSTITUCIONAL DO JUDICIÁRIO COM A SOCIEDADEMacrodesafioGARANTIA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS
11/05/2022 (00:00)

Contate-nos

Rua dos Andradas  , 1560  , 16º andar
-  Centro
 -  Porto Alegre / RS
-  CEP: 90020-010
4003 84030800 880 8403
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia